top of page
  • Foto do escritorScarlet Witch

10th Doctor - Melhores Episódios

Davis Tennant assumiu a Tardis de Christopher Eccleston após apenas uma temporada do Nono Doutor, com a tarefa de continuar o legado de quase cinquenta anos de uma das séries mais icônicas do mundo. Os recursos ainda eram limitados (quando comparamos com as temporadas de Matt Smith e Peter Capaldi) e a nova versão, depois de anos de hiato, parecia ainda estar procurando seu tom. Com três temporadas, o Décimo Doutor conseguiu conquistar uma legião de fãs e se tornar a encarnação mais popular de todos os tempos. Quem acompanha o Canary Reviews há algum tempo, sabe que somos levemente parciais quando se trata do David Tennant, afinal, ele também ganhou nossos corações. Então, decidimos fazer um post para homenagear seu tempo na Tardis e relembrar alguns de seus melhores momentos.


Agora, deixamos aqui nosso top 10 do Décimo Doutor e vamos rapidinho fazer uma maratona de Doctor Who. Aproveite!



1- A Garota na Lareira (2x04)

Não é humanamente possível começar com outro episódio essa lista que não A Garota na Lareira. Esse é um dos episódios mais extraordinários de David Tennant e um dos melhores de toda a série. Há simplesmente algo de mágico em misturar a França pré-revolucionária com uma nave espacial em um futuro muito distante, e até os vilões conquistam um lugar no coração dos whovians. É absurdo, divertido, surpreendente e até mesmo romântico, diferente de tudo que já havia sido visto desde o primeiro episódio de Christopher Eccleston e diferente de tudo que foi visto até o último episódio de Matt Smith.



2- A Invasão de Natal (especial da temporada 2)

A Garota na Lareira pode ser um dos melhores episódios da série, mas o primeiro episódio do Doutor de David Tennant é com certeza um dos mais memoráveis. De Rei Leão a grandes botões vermelhos, o Doutor enfrenta várias dificuldades durante os primeiros momentos de sua nova regeneração, além lutar contra aliens de pijamas (que não eram dele, à propósito) e, acima de tudo, descobrir se finalmente era ruivo. Esse também é o episódio em que o Doutor consegue seu icônico figurino e começamos a nos apaixonar por ele junto com Rose.



3- A Terra Roubada/ A Jornada Termina (4x12 e 4x13)

Sarah Jane, Capitão Jack, Donna, Martha, Daleks, Davros, mais um Doutor, Rose, planetas roubados... Esses dois episódios são fantásticos tanto com relação à história quanto aos personagens. Além da despedida de Russell T. Davies, também é um encerramento para vários arcos dos últimos anos, inclusive a complicada relação de Rose e do Doutor. Há momentos incrivelmente felizes e reconfortantes, como a reunião de todas as antigas companhias com o Doutor, até alguns dos momentos mais tristes de toda a série. Com certeza absoluta é um dos melhores especiais de toda a série.



4- O Exército de Fantasmas/ O Juízo Final (2x12 e 2x13)

Os episódios que fizeram todo whovian perceber que a vida é dor e qualquer um que diga o contrário está tentando vender alguma coisa. Alguns momentos divertidos e icônicos (como o acima) acabam deixando a história principal um pouquinho menos cruel, mas, ainda assim, esse arco consegue ser ainda mais dolorido do que a despedida de Donna ou a de Amy. E, mesmo assim, nós continuamos assistindo de novo e de novo. Na verdade, até os momentos finais, esses dois episódios são uma das histórias mais fantásticas da era de Tennant na Tardis, então, o sofrimento compensa.



5- Não Pisque (3x10)

Em Não Pisque, somos apresentados a uma das mais assustadoras e estranhas criaturas de Doctor Who, os Anjos Lamentadores. Apesar de ganharem mais protagonismo com o Doutor de Matt Smith, os Anjos começaram com David Tennant e Carey Mulligan. Esse episódios é talvez um dos mais experimentais da era de Tennant, principalmente pelo fato de o Doutor ser um personagem secundário, preso em outra época com Martha e se comunicando com Sally por uma gravação. Confuso, assustador e genial. Apenas isso.



6- A Noiva em Fuga (especial da temporada 3)

Não poderia haver um começo mais apropriado para a dupla do que Donna simplesmente se materializando na Tardis em um vestido de noiva e o Doutor tão confuso quanto ela. Apesar dela demorar ainda uma temporada inteira para retornar, Donna e o Doutor tiveram uma dinâmica incrível durante esse especial de Natal, ditando o tom da divertida relação que teriam na quarta temporada.



7- Natureza Humana/ A Família de Sangue (3x08 e 3x09)

Considerando que o maior medo do Doutor era morar em uma casa, esses dois episódios são bem sombrios. Com a ajuda de Martha, o Doutor se torna humano e perde todas as suas lembranças, vivendo como professor em um colégio interno no início do século XX. Além da premissa interessante e da aparição de Thomas Sangster, esse é um dos arcos mais significativos para Martha, provando mais uma vez que ela é uma das companhias mais fortes e leais que já passou pela Tardis. Esse também é o arco que abre o precedente na nova era para a reaparição de um importante personagem alguns episódios adiante.



8- O Unicórnio e a Vespa (4x07)

Nesse episódio, a energia caótica do Doutor e de Donna atinge o nível máximo, e é um dos mais divertidos dos dois juntos. Agatha Christie, Donna Noble e Felicity Jones na mesma sala são a combinação mais perfeita possível, e, na atmosfera rodeada de mistério, O Unicórnio e a Vespa é simplesmente fantástico. Além disso, há também um dos melhores momentos do Doutor e de Donna juntos.



9- O Código Shakespeare (3x02)

O episódio que mostrou que todos nós seríamos, na verdade, a Martha se o Doutor um dia nos convidasse para uma viagem. Ter uma personagem "real" como companhia, com medo de pisar em uma borboleta e mudar a linha do tempo e fazendo referências a Harry Potter enquanto lutava ao lado de Shakespeare contra bruxas alienígenas faz O Código Shakespeare digno de estar no top 10 de David Tennant. O Doutor, por sua vez, parece ter seu próprio arco, com os problemas de seus dois corações e o início de um dos maiores mistérios da nova era, que só seria revelado no aniversário da série, lá em 2013 com Matt Smith. Com certeza um dos mais divertidos da lista!



10- Dente e Garra (2x02)

Imagine ser a Rainha da Inglaterra, ter uma missão importantíssima, estar sob uma ameaça de morte, e de repente dois palhaços aparecem do nada e parecem estar constantemente rindo de você. Essa é basicamente a premissa de Dente e Garras do ponto de vista da Rainha Vitória, mas Rose e o Doutor certamente só estavam tendo uma aposta amigável enquanto lutavam contra um lobisomem. Um dos melhores episódios do Doutor e Rose.




Menções Honrosas:


(2x03) Reunião Escolar - O Doutor, Rose e Micky infiltrados em uma escola para caçar morcegos mutantes, além de Sarah Jane e K-9.


(2x08 e 2x09) O Planeta Impossível/ O Abismo do Demônio - Intrigante, intenso e, claro, os Oods.


(2x11) Tenha Medo Dela - Não é uma das melhores histórias, mas tem alguns momentos bem divertidos do Doutor e de Rose, e ainda prevê o Doutor carregando a tocha olímpica em 2012 (só errou a regeneração).


(3x01) Smith e Jones - Há sempre algo de especial no primeiro episódio de uma nova companhia, e Martha tem uma primeira aventura no mínimo interessante.


(Especial da temporada 4) A Viagem dos Condenados - Alonso. É tudo que eu tenho a dizer.


(4x01) Parceiros no Crime - Donna representou todos nós quando passou meses procurando a mínima oportunidade de reencontrar o Doutor, e esse encontro é simplesmente icônico, melhor ainda apenas por causa dos adoráveis Adiposes.


(4x02) Os Fogos de Pompéia - O Décimo Segundo Doutor roubando a Tardis do Décimo Doutor enquanto Amy Pond comanda um culto e um vulcão entra em erupção. Por muito pouco não entrou no nosso top 10.


(4x06) A Filha do Doutor - Uma das melhores personagens coadjuvantes da série, Jenny, a filha do Doutor, que é interpretada por Georgia Tennant, que é filha do Peter Davison, que foi o Quinto Doutor, que acabou se casando com o David Tennant depois de conhecer ele no set de Doctor Who, com certeza marcou sua rápida passagem pela série.


(4x08 e 4x09) Silêncio na Biblioteca/ Floresta dos Mortos - Primeira e última vez que vemos nossa querida River Song. Uma pequena introdução da confusa linha do tempo dela.



Não se esqueça de se inscrever no Canary Reviews para não perder nada, e voltamos logo logo com o top 10 de Matt Smith!

Commentaires


bottom of page