top of page
  • Foto do escritorScarlet Witch

The Great - 2ª Temporada: Resenha

The Great termina sua segunda temporada com fôlego renovado para sua já confirmada terceira temporada, e não decepciona as expectativas criadas pela primeira.



A série de Elle Fanning e Nicholas Hoult terminou recentemente sua estreia aqui no Brasil, e tudo que tenho a dizer é que, após uma fantástica primeira temporada, The Great entrega uma segunda temporada ainda melhor. Ela retoma de onde partiu, com Catherine dando continuidade a seu golpe e, eventualmente, a rendição de Peter. A completa falta de preocupação com a história real é o grande trunfo da série, fazendo com que ela tenha um ritmo completamente diferente de The Crown ou Vitória, muito mais caótico e facilmente cômico. Sobre isso, The Great também parece ter encontrado seu próprio tom de humor nessa segunda temporada, aprimorando o que havia sido apresentado na primeira.


Em seu segundo ano, com algumas renovações no elenco, novos arcos narrativos, e um pouco mais de confiança, The Great cria sua própria história, sem se prender a nenhum tipo de expectativa além das criadas por ela mesma. O amadurecimento dos personagens é seu traço marcante, bem como as eventuais recaídas, aprofundando ainda mais a complicada relação de Peter e Catherine, Elle Fanning e Nicholas Hoult brilhando mais uma vez, simplesmente sem ressalvas.



Depois do desfecho da primeira temporada, algumas mudanças de elenco já eram esperadas, como a partida de Leo (Sebastian De Souza), mas, logo após o início das gravações da segunda temporada, foi anunciado um acréscimo valioso. Gillian Anderson (The Crown) entra em cena como a mãe de Catherine, polêmica, contraditória, e responsável por um dos mais importantes arcos da temporada. A personagem de Anderson é responsável por trazer à tona o melhor e o pior lado tanto de Catherine quanto de Peter, agitando ainda mais a difícil dinâmica dos dois, Nicholas Hoult roubando a cena sempre que tinha a oportunidade.


Além de Hoult, o multifacetado idiota, quem também chama a atenção é a equipe de figurinistas, que conseguiu superar o lindo trabalho feito na primeira temporada. A extraordinária Elle Fanning ficou ainda mais digna da corte russa com a impecável caracterização de sua personagem. Sem dúvidas, uma das melhores produções dos últimos anos, e reitero a minha comparação à Marie Antoinette da última vez.



Como últimas considerações, gostaria de dizer apenas que The Great acerta muito na continuidade em relação ao enredo da primeira temporada. Todos os ganchos deixados foram bem aproveitados, os personagens possuem uma evolução natural, apesar do ritmo acelerado, e os novos arcos narrativos se encaixam com facilidade nos que foram retomados. Para quem gostou da primeira temporada, essa segunda é altamente recomendada, e, para quem não gostou muito, essa pode ser a oportunidade de dar uma segunda chance para The Great. Se a primeira temporada recebe um 9,4, a segunda temporada merece um sólido 9,7.


"Catherine (Elle Fanning) acaba de se tornar a Imperatriz da Rússia, graças a seu casamento com Peter (Nicholas Hoult), o atual governante do país. Com o tempo, a jovem percebe que seu marido não é exatamente o que ela imaginava e tensões surgem entre os dois."


*The Great está disponível no Starzplay, que pode ser assinado via Amazon Prime

Comments


bottom of page